sábado, 23 de maio de 2015

VER O QUE SINTO

Quem me vê assim falando
Não sabe nada de mim
dentro de mim mora uma louca que me acorda a noite
Dentro de mim mora uma santa que me acorda nas manhãs
Ambas falam, vociferam
Ambas querem decidir os caminhos que preciso seguir
As escolhas que preciso tomar
Uma gosta da luz
Outra gosta da sombra
Uma me quer rindo
Outra me quer lamentando.
E eu? como me sinto?
Quem me governa?
O coração lembra e lamenta
O pensamento lembra e agradece sorrindo.
Estás melhor agora
Não se iluda moça...já não há janelas de espera.
Como me vejo? O que sinto afinal?
Não há como ver o que vejo
São só imagens  de mudanças
Afinal o vazio permanece
Vazio de sonhos
Vazio de ideias e desejos...

Va
    zio...rio!





 "Como me sinto?
Como se colocassem dois olhos sobre uma mesa e dissessem a mim,
a mim que sou cego: isso é aquilo que vê, essa é a matéria que vê.
Toco os dois olhos sobre a mesa, lisos, tépidos ainda, arrancaram há pouco, gelatinosos, mas não vejo o ver.
 É assim o que sinto tentando materializar na narrativa a convulsão do meu espírito, e desbocado e cruel,manchado de tintas,essas pardas escuras do não saber dizer,
 tento amputado conhecer o passo,cego conhecer a luz, ausente de braços
 tento te abraçar."

 ( Hilda Hilst) 

quinta-feira, 21 de maio de 2015

A vida segue...SEMPRE!

Vida que segue...que passa.
Costumo brincar dizendo "virar a página" ou a "fila andou".
Bom saber que anda mesmo e quem fica parado perde o trem.
Mesmo que se pegue o trem errado pode-se descer na próxima estação, o que não se pode é ficar PARADO!
Delícia de existir e perceber as mil possibilidades de se dar a volta por cima e continuar respirando, de acordar e já ter esquecido as dores do dia anterior.
Por que as pessoas insistem em viver na eterna queixa?
É como se queixar fosse moda!
Percebo nas reuniões de diversos grupos que as pessoas se mobilizam muito mais quando ouvem lamentos, reclamações ou fatos negativos. A impressão é que vivemos eternamente desejando sempre que o outro esteja mal, que o outro não possa estar bem e assim vamos alimentando uma satisfação no olhar do outro, ao perceber que o fato de você não estar bem indica que ele pode estar melhor do que você!
(pintura de Mariana Palova)

Uma atitude bastante preocupante diante do mal estar da civilização...é como se alimentássemos um grande dragão que vive da negatividade do mundo, guerras, destruições, mortes, traições, assassinatos...
Onde será que tudo isso começou?
Será que tem um fim? Ou o final é sempre em si mesmo?
Penso que as religiões tem uma parte de culpa ao pregarem o medo do castigo, ao alimentarem a insegurança e o cultivo de mentes fragilizadas pela covardia do ser humano...
Precisamos mais do que antes nos fortalecer para enfrentar essa pseudo vontade de uma ajuda que só cabe a nós mesmos descobrir e fazer bem uso dela.
Lembrando o que escreveu o H. Jackson Brow Jr:

"Daqui a vinte anos você estará mais arrependido pelas coisas que não fez do que pelas que fez. Então solte suas amarras. Afaste-se do porto seguro. Agarre o vento em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra."

Hoje foi um dia pra lá de especial, pude falar contigo, tive notícias de além mar, encheu meu dia de luz e alegria saber que está bem e se cuidando! 

Grande beijo bom para você que me acompanha sempre, daqui do outro lado da Terra cresce e se fortalece minha coragem que um dia você me ensinou a ter quando me ajudou a soltar minhas amarras.
Que possamos sempre cultivar o bom olhar sobre o outro...que possamos sempre alimentar o mundo da nossa boa energia e pensamentos...que possamos contaminar o mundo com o mais puro e pleno AMOR!
(pintura de Sergio Cerchi)


terça-feira, 19 de maio de 2015

Sorrir sob a magia de uma câmera


                            
"Conhecemos um homem pelo seu riso; se na primeira vez que o encontramos ele ri de maneira agradável, o íntimo é excelente." 
                                                                                         ( Dostoiévski)

Sempre desconfiei disso 
na súbita intuição arrisquei acreditar nessa ideia 
mais do que antiga e atemporal.

Não acredito num Deus que não queira nos ver sorrindo
Não acredito num Deus que não queira nos ver dançando
Assim inicia um prefácio de um livro com uma frase do Nietzsche
                 " Só acredito num Deus que saiba dançar"
Só posso crer na vida com alegria e muitos dias de sol...

Cansei de desperdiçar água 
Cansei de sofrer por algo inominável.
          Hoje eu só quero sorrir
                 Hoje eu só quero alegria
                          Deixei a tristeza de lado
                                   Mandei a saudade embora...já dizia alguém!

                                                  Bom sorrir com você!

Percorremos territórios distintos
Trouxemos palavras mágicas, de fascínio e encanto
Mas também bolachas e cascudos
Que viraram rusgas, equívocos, mas também cuidado e aconchego.
De um abraço terno e carinhoso fez se fel e espinhos
Mas no exercício da liberdade de entender
Transformamos cada instante num eterno ir e vir de novas descobertas.

                                                   Bom vê-lo sorrir!

Vejo-me leve ao seu lado
Embora ainda me equilibrando na corda bamba.
Vejo-te leve ao meu lado
Embora trabalhando a paciência e tolerância.
Assim vamos crescendo e aprendendo a dar e receber limites.

                                                  Bom voltar a sorrir com você!

Nossa história tem surpresas...
Transitamos por espaços contraditórios, mas complementares.
Hoje controlo meu estado ansioso
Hoje espero seu tempo agitado
                                                     
                                             Bom rir e esquecer de tudo!

Feliz que estamos nos permitindo à proximidade 
Que seja um tempo de semear 
Que possamos viver a colheita
E novamente rir mais uma vez da VIDA
Que nos prega  PEÇAS
                                    A cada virada de esquina,
                                    A cada porta aberta
                                    A cada página virada...

O tempo vive a nos dizer
Que breve chegará 
A época de colher as flores que foram semeadas.
                                                                   
                                            Bom sorrir com você! 

" O riso é eterno, a imaginação não tem idade, os sonhos são para sempre.”    W.Disney


domingo, 3 de maio de 2015

ALFORRIA

        Bom amanhecer com uma poesia tão bela como essa...linda resistência de uma flor que se transforma...



RESISTÊNCIA DA FLOR
                                           ( W.D. Cavalcanti)
Flor que não seca - ela,
zelosa de ser amor sem fim,
senhora da boa morte
e da vida,
cachoeira de nobreza
onde se banham silêncios e sombras
de recôncava história
ovulada no negro do tempo
em seu profundo leito.

Sempre viva a mãe
que guardou a liberdade
- do filho fugido -
em sagrado segredo,
cobrindo-se de luto e sangue,
de vermelho e negro,
com a joia da fé
incrustada em seu peito
- vitória da esperança
no amaro do desterro.

Sempre viva a flor
que, arrancada de sua terra, não murchou
nem morreu de medo
e enfrentou a morte
e se adornou na dor
para fazer vingar a vida
em seu justo desejo.

Sobre seu colo,
em seus pulsos,
nas orelhas,
em seus dedos
o ouro honra o mérito
e é sempre pouco
para tamanho feito.

Sempre viva
a que deu alforria
ao seu amor.

Maio chegou para celebrar a vida...a delícia de amar e ser amada, sem amarras, uma sempre VIVA que se libertou!

sábado, 2 de maio de 2015

LIMITES DO AMOR

O universo conspira quando buscamos respostas ou consolo para o que sentimos ou desejamos, assim me chegou essa poesia hoje, ela fala do meu momento em que me liberto definitivamente de uma história que me trouxe alegrias mas também muita dor e tristeza, uma fase de amor ilusório, que me aprisionou numa teia de lembranças e sonhos...mas que felizmente chega ao seu final!

                      LIMITES DO AMOR
                          ( Affonso Romano de Sant'Anna)
Condenado estou a te amar
nos meus limites
até que exausta e mais querendo
um amor total, livre das cercas,
te despeço de mim, sofrida,
na direção de outro amor
que pensas ser total e total será
nos seus limites da vida.
O amor não se mede
pela liberdade de se expor nas praças
e bares, sem empecilho.
É claro que isto é bom e, as vezes, sublime.
Mas se ama também de outra forma, incerta,
e este o mistério:
- ilimitado o amor às vezes se limita,
proibido é que o amor às vezes se liberta.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Um breve adeus...



Te vi de longe no Farol
Parada fiquei  olhando e captando a energia daquele momento,
se passaram seis anos desde a ultima despedida,
Tanto para se dizer, tanto para não dizer.
O tempo deixou marcas, você mais envelhecido,
encurvado e sem o brilho no olhar que um dia me encantou e
me fez viajar por lugares mágicos.
Agora tudo acabou, a paixão, os sonhos, a doçura de antes.
Somos dois estranhos com  lembranças boas.
Temos memória na pele que insiste no contato.
Nos tocamos, mas não é como antes...
O desejo é vazio, se acaba nas palavras.
A vontade de estar junto transforma o estar ali em meros toques de pele.
Trocamos palavras sem sentido, sem importância
A vida me trouxe surpresas...você me teve e a revolucionou.
Agora vejo o partir e voo para longe de ti.
Já não há mais nada a dizer, nada a sentir só o vazio da existência em comum.
Gratidão terei sempre a ti
Me libertou duas vezes das minhas amarras
Agora seguimos, eu com minha vida tranquila e intensa
Você com suas escolhas tumultuadas e cheia de fantasias de um bom viver.
Não caibamos mais um no outro...
Voamos por tempos e espaços distintos.
Vai em paz moço, o mundo a ti pertence!


“Eu não sabia o que na madureza aprenderia: que todas as coisas quando acabam são substituídas por outras, que a vida não se reduz, mas cresce. E é em tudo um milagre.” (Lya Luft)

VEM

O abelhudo e a exibida                         ou o pintor e sua obra Me encanto quando me invade assim Meio sem jeito, mei...