quarta-feira, 10 de junho de 2015

Fim da estrada, fim do caminho


É o fim!
O fim dos sonhos utópicos!
É o fim das noites no qual tentávamos sonhar
É o fim da magia e dos livros esotéricos.
É o fim dos psicotrópicos que você tomava para sonhar.
É o fim da insonia, do stress, da procura por carinho.
É o fim da angustia que tira o desejo de ir mais além.
É o fim da dor
É o fim das dores mal curadas
É o fim da madrugada que não acaba.
É o fim da terapia e dos livros de auto ajuda.
É o fim do remédio que já não alivia a dor.
É o fim!
É o fim da dor que machucava
                                            da tristeza que perdurava
                                                         do choro que dilacerava.
É o fim da alma que agora sossega
                                       e do azedo que agitava.
É o fim da taquicardia que insistia em se acomodar.
É o fim do sofrer
                          sem por que...
                                                           É O FIM!





VEM

O abelhudo e a exibida                         ou o pintor e sua obra Me encanto quando me invade assim Meio sem jeito, mei...