segunda-feira, 26 de março de 2012

Esperança, um novo gesto...um novo olhar!

Viver aqui  em Nacala me faz crer que desfruto a todo instante de um novo renascer, diante de tantas demandas é sempre possível encontrar um olhar de esperança no povo daqui, na perspectiva que estamos todos os dias plantando uma nova semente e que daí vão nascer bons frutos...De ter  possibilidade de refazer cada ação e tranformar em novas ações, de compreender uma cultura tão complexa e ao mesmo tempo tão singular no seu jeito de ser, de poder estar inserida num emaranhado de cheiros, odores, cantigas e danças faz me crer que vivemos aqui diariamente um MILAGRE...o que parece impossivel torna-se possível, é como minha mãe santa do Brasil me disse quando soube que eu vinha para África " minha filha lá você estará na terra dos nossos Deuses e Deusas, bebendo diretamente da fonte, aproveita e aprenda tudo para nos contar..." Assim vou aprendendo a cada dia, como alguem um dia disse:
Milagre é quando tudo conspira contra, mas Deus vem de mansinho e com um sopro leve muda o rumo dos ventos. Milagre é quando o incerto nos abraça depois de nos atingir cruelmente com sua fúria. É quando respirar vira quase um suspiro de alívio e a vida devolve o sorriso como forma de retribuição por todo o sofrimento. É o instante teimoso que resiste bravamente a um duro percurso e mantêm-se em pé amparado pela força divina. É a decisão  que escapa de nossas mãos, mas que antes de cair agarra-se em pé amparado pela força divina. É a decisão que escapa de nossas mãos, mas que antes de cair agarra-se com toda força a uma segunda chance . Milagre é o improvável gesto de carinho que impulsiona o ser humano a não deixar de acreditar.
Que o brilho do sorriso possa nos devolver sempre a força que precisamos ter para enfrentar as adversidades e tristezas que nos afrontam a cada dia, que nos desafiam a querer desistir quando queremos é mais ficar e apostar em dias melhores.
Beijo bom para você meu doce amor, meu Deus Ébano, trazido pela lua e águas do Indico,  Inacio Magaia Abdul, você que acompanha as emoções que vivo por aqui a cada instante, que procura entender as lágrimas que correm a cada emoção experenciada...

“Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
 estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças..."
 ( Carlos Drummond de Andrade – Mãos dadas).
                         E de mãos dadas quem sabe um dia, vejamos o nascer do dia mais feliz!
       O amor que senti em sua terra foi maior que tudo que vivi em outro lugar!


                                            OTHAWENE TIMPUANHIA APAJERA 
                       ( LÁ NO HORIZONTE ENCONTRA-SE UM NOVO COMEÇO)


segunda-feira, 12 de março de 2012

O Povo Macua ( MAKHUWA)- Parte 1

Desde que cheguei aqui em Moçambique procuro conhecer um pouco da cultura do povo macua, conversando com um ou outro, buscando informações em livros e textos aos pouco vou compreendendo a resistência dessa etnia à colonização portuguesa e depois a guerra civil que passaram. Tem uma língua materna forte, uma relação com a espiritualidade e sexualidade muito curiosa e que nos deixam, nós ocidentais, perplexos diante da organização social que estão inseridos, passando seus valores e costumes de geração em geração.
O povo macua vive, atualmente, numa grande área do Norte de Moçambique, com cerca de 300.000 km², que abrange parte das províncias de Cabo Delgado, Niassa, Nampula e Zambézia. Com uma população em torno de 3.500.000 habitantes, constituem 35,6% da população total de Moçambique, sendo o grupo étnico mais numeroso do País.
É um povo rico em histórias e provérbios curiosos:
NTATA NIMOSA KHINNINYAWIHA – Uma mão só não consegue lavar-se.
OKHALA NIMPONI WETTA ELI – Ser testemunha é andarem dois juntos.
EYANO EMOSA KHENATHAMALA OSIVA MATHAPA – Uma boca só não pode saborear a comida.
"O povo macua sente-se profundamente unido ao conjunto da natureza e de maneira especial às suas forças vitais. Na sua cosmovisão considera a vida (EKUMI) como o eixo da roda da existência e como a meta para a qual todos os homens caminham e para onde todos os indivíduos e  a comunidade regressa, pois dali saíram um dia. Por consequência, tudo o que possa desenvolver e enriquecer a vida é considerado um valor fundamental; ao invés, tudo aquilo que, na sociedade, de alguma maneira, a possa ofuscar ou destruir, é considerado como uma desgraça, um mal e contra valor fundamental."
Praticam rituais para cada fase ou evento da vida, todos ligados ao nascimento, morte, aos seus antepassados, com sacrifícios para cada momento e novas obrigações.
Água aqui é artigo raro e muito disputado
Construção típica
Os pequenos sempre estão agarrados a mãe...

sexta-feira, 2 de março de 2012

Estar aqui...

Hoje faz um mês que sai da minha cidade querida e vim para cá...Nacala, um cantinho perdido no mapa de Moçambique. Foi um mês intenso de muito trabalho, muitos aprendizados e descobertas dificeis, lidar com essa realidade aqui é saber e crer que temos tanto para oferecer, carinho, atenção, escuta ativa, paciência e tolerância, afinal lidamos com a falta de tudo...mas o que me deixa mais feliz é ver nos olhos do povo de cá uma esperança tão grande e uma fé em dias melhores.
 Assim vale a pena prosseguir, mesmo com o coração cheio de SAUDADES e tantas inquietações.
Escrevo para você que nunca mais me escreveu...escrevo para você que já não sabe mais de mim porque estive ausente daqui, mas agora vou me organizar para levar até você uma história que está começando, dessa vez com uma "malta" super linda e cheia de vida!
Aquele abraço de muita saudades,

VEM

O abelhudo e a exibida                         ou o pintor e sua obra Me encanto quando me invade assim Meio sem jeito, mei...