sexta-feira, 18 de maio de 2012

"Matse Wonéla" - água transparente


“O mundo quer ser visto antes que houvesse olhos para ver, os olhos da água, o grande olho das águas tranquilas, olhava as flores que se abriam (...) e é nesse reflexo que o mundo tomou, pela primeira vez, consciência de sua beleza (...) É preciso aprender a interagir com o mundo, saber interrogar as formas passantes a fim de que possamos perceber que todas são animadas pelas forças viajadoras do universo. É preciso sonhar muito para se apreender a alma de uma água tranquila” (Bachelard)
É preciso estar em  paz para apreciar e desfrutar da luz do Indico nas terras de cá, não canso de presentear-me a cada amanhecer com seu azul degradê, que nos acaricia os olhos e nos faz crer que ao silenciar o coração usufruímos disso tudo com muito mais alegria e certeza das escolhas que fazemos por estar tão longe de casa.
Esse foi um dia abençoado...pude captar a transparência e calor das suas águas, recarregando as baterias para iniciar uma semana de muito trabalho e tantas despedidas...daqui a pouco estarei de volta para o meu país!!!
Mas levarei muitas, muitas lembranças boas daqui...principalmente da cor dessa águas e do sorriso transparente desse povo!!!


VEM

O abelhudo e a exibida                         ou o pintor e sua obra Me encanto quando me invade assim Meio sem jeito, mei...